'Tirar a vida de uma criança de 11 meses é muito doloroso para uma mãe, uma avó, e para a família', diz avó de bebê morto pelo primo - De Olho na Cidade 24hs

Breaking

De Olho na Cidade 24hs

Notícias de Sobral, Ceará, Brasil e Mundo

test banner

Post Top Ad

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

quarta-feira, 24 de agosto de 2022

'Tirar a vida de uma criança de 11 meses é muito doloroso para uma mãe, uma avó, e para a família', diz avó de bebê morto pelo primo


Bebê de 11 meses morto pelo primo
Fonte: G1

Segundo boletim de ocorrência, Eduardo Jorge Pinto, confessou crime a militares após ser preso.


"É muito dificil essa dor. É muito... Eu quero justiça mesmo", desabafa Rosa Pinto, avó que perdeu o neto de 11 meses nesta terça-feira (23) em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O bebê Enzo Gabriel Ambrósio foi morto pelo primo, Eduardo Jorge Pinto, de 28 anos, a tiros na casa da família no bairro Tijuco.

A criança estava a um mês de completar 1 ano, e a família já preparava uma festa para comemorar o primeiro aniversário.

Além de Enzo, quatro primos ficaram feridos no ataque de Eduardo Jorge.

“A mãe dele já estava com os 'trem' tudo pago para fazer a festinha dele de um aninho. Foi o último sorriso que ele me deu, me chamou de avó", disse Rosa.

A família teria tentado internar Eduardo Jorge em uma clínica de reabilitação. O homem, segundo o boletim de ocorrência, confessou o que motivou o crime foi a tentativa de um tratamento forçado.

“É muito difícil essa dor. É muito ... eu quero justiça mesmo. Tirar a vida de uma criança de 11 meses é muito doloroso para uma mãe, para uma avó, para a família, a gente quer justiça!” , afirmou Rosa.

Eduardo Jorge tem uma ficha criminal extensa, o homem já foi preso por outros crimes. Só em agosto foram quatro ocorrências dentro de 20 dias.

Um primo de Eduardo, Marcos Oliveira Pinto, questiona o motivo de ele não ter permanecido preso em outras ocasiões.


Primo preso suspeito de matar bebê


“Ia preso, soltava, ia preso, soltava. O cara ‘enchia a cara’ de droga, ficava louco, perturbado. Ele foi preso num dia, no outro já estava na rua. Então, não dá para entender o motivo de tanta impunidade, ne? Infelizmente, uma pessoa dessas, o lugar dele é um só: atrás das grades” , falou Marcos Oliveira Pinto.



Fonte:G1




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here